8 PASSOS PARA UM GUARDA ROUPA INTELIGENTE - PARTE II

Continuando esse post aqui sobre guarda roupa inteligente, seguem os próximos 4 passos para você alcançar o seu armário funcional para a vida que você leva!

Nota importante: Só ponha em prática os 4 próximos passos, se você passou pelos 4 passos anteriores, pois essa parte que se segue vai envolver listas, preparação para compras e você saber exatamente o que tem no seu armário e o que está a procura.

Ressaltando:
O objetivo é conseguir alcançar um guarda roupa funcional e inteligente para o seu estilo de vida, levando em conta a sua rotina e também as suas mensagens pessoais de imagem. Para isso, eu resolvi compartilhar com vocês esse método que eu criei, baseado nos exercícios propostos por Anuschka Rees em seu livro "Os segredos do guarda roupa europeu", na minha experiência com o Desafio da Cápsula e no curso de personal organizer que eu fiz há uns anos.

Bora lá?

Passo 5 - Conheça o seu dia a dia
Como fazer: a verdade é que a maioria das pessoas compra peças de roupa pensando na vida que elas gostariam de ter, muito mais do que na vida que elas, de fato têm. Isso acontece, porque criamos uma espécie de transferência entre o que poderia ser, do que realmente é, de modo que, acreditamos que se nos vestirmos de uma determinada forma, estaremos mais perto do lugar que queremos chegar. Só que, em termos práticos, isso é uma bobagem, uma vez que se não cabe na sua rotina, não vai sair do seu armário e se não sai do seu armário é dinheiro e energia parados. Então nesse passo você precisa ser brutalmente honesto consigo mesmo e avaliar o seu dia a dia de forma clara.
Quando eu fiz esse exercício, criei uma espécie de gráfico de pizza, dividindo a minha rotina em porcentagens, logo ficou mais ou menos assim:

Sala de aula - 30%           Home Office - 40%  Jantares, Saídas com os amigos - 11%          Academia - 10%                      Reunião de Trabalho e eventos mais formais - 6%            Momentos sazonais, baladas e festas temáticas - 3%

Nessa porcentagem, eu consegui enxergar que passava muito mais tempo entre salas de aula (sendo professora ou aluna) e trabalhando em casa, do que tendo reuniões mais formais, logo, eu não precisava ter um estoque significativo de terninhos e calças de alfaiataria - se eu tivesse três ou quatro de cada, já me atenderia perfeitamente. 
O mesmo é o caso de momentos sazonais, como roupas de praia, fantasia de carnaval e halloween, que ocupam (no máximo) 3% da minha vida como um todo, logo eu não preciso de um estoque de biquinis e fantasias, duas ou três de cada serve para o ano todo e para outros anos mais. 
O que eu precisava ter em maior quantidade no meu armário, eram peças confortáveis (para trabalhar em casa) e que pudessem transitar para o ambiente acadêmico mudando alguns elementos, como sapato, acessórios e detalhes. Como o local que eu dou aula não exige um código específico de vestimenta, posso ser mais casual e, por exemplo, usar jeans e camiseta. 
Mas se o seu local de trabalho tem um código de vestimenta, isso precisa constar na sua divisão, como uma observação.
Para te ajudar a ser mais assertivo nessa divisão de porcentagens e não esquecer nenhum detalhe, segue o questionário para você aplicar na sua rotina: 
1 . Quanto tempo da sua rotina você passa em cada lugar?
2 . Existe algum código de vestimenta em algum dos lugares que você frequenta?
3 . Quais peças você consegue transitar entre os seus afazeres?

Por fim, analise as peças que você tem (especialmente a do montinho que com certeza fica) e veja se elas estão de acordo com a sua rotina diária, separe aquilo que tem demais e aquilo que tem de menos, ou que falta em uma lista. 
Importante: Veja se a sua rotina tem a ver com a sua nuvem de mensagens. Se sim, ótimo, pode passar para a o passo seguinte. Se não, revisite essa nuvem de mensagens e afine ela com o seu dia a dia. É claro que você pode ter mensagens a serem construídas como meta, mas elas não podem ser a maioria delas. Lembre-se - estamos preparando o seu guarda-roupa para a vida que você leva e não para que você gostaria de ter. 


Passo 6 - Faça listas 
Como fazer: agora que você já sabe o que está faltando no seu armário, e o que você tem demais. É chegada a hora de colocar nomes nos itens que você já tem - ex. camisa de botão de trabalho e de happy hour, calça legging de academia e de rolê de final de semana; vestido preto de coquetel e de happy hour - enfim, você vai criar as suas categorias, de acordo com a sua rotina diária, que você organizou no passo anterior. Feito isso com o que você tem, passe para o que está faltando e crie listas de compras. Essas listas devem ser feitas em termos de prioridade (daquilo que você precisa mais, para aquilo que você precisa menos), ausência (ou seja, se você não tiver nenhuma peça que possa substituir temporariamente o que você busca, em nenhum dos montinhos que você criou) e preço (estabelecendo tetos de quanto você vai poder investir em cada peça).
A recomendação é a seguinte: 
1. Faça listas diferentes para prioridades diferentes
2. Tenha referências claras do que você quer em termos de cor, caimento e design, descrevendo o item. Se você usar o celular para isso, vale a pena ter imagens dessas referências e buscar por aquilo. Por exemplo: estou buscando uma calça de alfaiataria preta, que tenha um corte bom, um tecido durável, precisa ter bolsos funcionais e tem que ser lavável na máquina.
3. Não faça as coisas com pressa, mesmo que o desejo seja o de completar aquela lista o quanto antes. 

Passo 7 - Pesquise, compre, cuide
Como fazer: Gaste sola de sapato! Ande mesmo, e com a sua lista em mãos, não compre algo que não atenda aos seus critérios, tanto de qualidade, quanto de preço. Se quiser arriscar a negociação, leve dinheiro vivo e tente descontos, especialmente se você gostar de lojas de bairro, brechós e confecções locais.
Para esse passo, eu recomendo esse vídeo aqui, que fala sobre o que observar na hora de fazer compras e procurar por peças de maior qualidade.
As principais dicas nesse passo são:
1. Procure peças que combinem com, pelo menos, três outras peças do seu armário - a referência principal são as peças da pilha do "com certeza fica".
2. Depois de adquiridas, valorize suas peças e cuide bem delas, guardando e lavando das formas corretas. Aqui eu compartilho a legenda de lavagem e passagem das etiquetas. Entenda que se você cuidar bem das suas peças, elas podem durar um tempo indeterminado. 
3. Faça amizade com uma boa costureira, tanto para que ela possa fazer pequenos ajustes nas suas peças, quanto para que você possa personalizar antigas peças, em novas, atendendo às suas mensagens e objetivos mais concretos. 

Passo 8 - Monte um lookbook
Como fazer: Tire um tempo para experimentar todas as suas roupas, novas e antigas, já vendo o que combina e o que não combina e nomeie as peças novas, como você fez com as antigas. A partir daí, você pode criar fórmulas de combinações que sempre vão funcionar para você. Exemplo: calça skinny casual, camisa soltinha de tecido leve e cardigã - para dias mais frios ou ar condicionado, combinado com sapato fechado - para sala de aula - ou rasteirinha para home office. 
A ideia dessas fórmulas, é que elas te ajudem a se vestir mais rapidamente todos os dias, sabendo que a combinação vai funcionar.
Depois, faça fotos de looks prontos e sempre as tenha no celular, ou a mão, dessa forma, quando você for comprar peças novas você terá uma visão geral das suas peças, bem como, quando faltar inspiração você pode voltar nelas.
Ao final, organize seu armário com critérios inteligentes, de modo que você diminua o tempo e o estresse em achar o que você procura. Exemplo: uma porta de roupas de trabalho todas juntas; separar guardar roupas sazonais no maleiro até precisar delas; organizar uma gaveta para lingeries, meias e pijamas, etc.

Observações importantes: 
1 - conforme o tempo passa, você também vai mudando os seus gostos e as suas preferências em termos de vestuário. Então, quanto mais você investir em peças de qualidade, mais existe a chance de elas te acompanharem nessas transições, pois elas serão mais perenes e ocuparão um espaço significativo na sua rotina.
2 - não tenha vergonha de experimentar peças em lugares que você nunca entrou! Você não é obrigado a comprar nada e às vezes, você pode descobrir um caimento novo, se sentir mais a vontade com um determinado tecido e até se inspirar para mandar fazer uma peça para você.
3 - não se endivide - por mais que o exercício de compras com listas seja divertido de fazer, você não precisa estourar o seu cartão de crédito para cumprir aquilo. Ao estabalecer prioridades e tetos, carimbe o dinheiro especificamente para aquilo e siga o seu planejamento.
4 - divirta-se! O grande tcham desse processo todo, é que você tenha um armário que você possa se divertir com as combinações e que ele faça sentido para você no médio - longo prazo! Como não há máximo e nem mínimo de peças, o critério é seu e você vai descobrir muito sobre suas preferências nesse processo, com toda certeza!

E aí, vai entrar nessa?! 
Que tal compartilhar a sua jornada pessoal? Só se conectar comigo no instagram @mesadecafedamanha.com, que vamos conversar!

Nenhum comentário