Moldura Bonita

[review sem spoilers]
Robin Hood - A Origem é uma aventura com cara de novidade, mas que usa de algumas formuletas para alcançar o efeito desejado, mesmo que não seja alcançado de fato.


Ao lado de histórias milenares como Rei Arthur e Peter Pan, o príncipe dos ladrões já esteve diversas vezes nas grandes telas, desde em versões animadas, até versões baseadas em, mas talvez nenhuma tenha flopado tanto quanto esta, dirigida pelo estreante Otto Bathurst. Com vários gaps de roteiro, incoerência na direção de arte e muita influência da estética dos videogames de gráficos mega detalhistas, esse Robin Hood (Taron Egerton - Kingsman: Serviço Secreto), apesar de carismático, não tem mais do que isso e acaba sendo um personagem de uma história sem nuances e que passa de um objetivo a outre, sem de fato transceder, ou demonstrar complexidade. Não fica claro o foco dele, como personagem, muito menos o foco do filme em si, que até parece uma colagem de referências de aventuras variadas.

Apesar de tentar ser um filme de origem da lenda do Robin Hood, a sensação que fica do filme é que poderia ter sido a história de vários outros personagens, inclusive um não conhecido pelo grande público, de modo que só o nome dos personagens, de fato, nos remete ao ser Robin Hood, já que da natureza dos personagens nada se aproveita. A pouca expressão do casal Robin e Marian (Eve Hewson) também não colabora, assim como um suposto triângulo amoroso entre os dois e Will (Jamie Dornan), que é meramente cenográfico e não tem tanta importância assim na trama, de fato.
Entre os nomes que compõem o elenco, entra Jamie Foxx, interpretando o braço direito de Hood, Little John da melhor forma que deve ter sido possível, com um diretor inexperiente e um enredo que não ajudava muito. O excelente ator acabou perdendo força no meio de uma trama sem viradas, sem dinâmica e um tempo de filme que não flui. 

As quase duas horas de filme passam como se fosse o dobro do tempo na sala. Sendo que o único ponto positivo dessa mistureba, seja a galera dos efeitos e da finalização, que está de parabéns em ter conseguido passar alguma veracidade nas batalhas anacrônicas que utilizam carruagens como carros de velocidade e flechas como balas. 
O plot do filme é muito fraco, especialmente com um vilão falastrão e sádico, que não convence e não contribui, se perdendo na tentativa de conseguir um efeito mais contemporâneo, em uma história já clássica. Trata-se de um filme que é uma compilação de mesmas coisas de filmes de ação, numa moldura bonita.




Robin Hood - a origem foi mais uma cabine feita na parceria entre o Mesa e o Culturadoria.

Um comentário

Monique Vivendo Sentimentos disse...

Eu estava com grandes expectativas com o filme. Que pena que foi chato para você. Acho que vou analisar bem se vou mesmo no cinema, ou espero chegar na TV mesmo...

www.vivendosentimentos.com.br