Cachos + Capelo

Tudo começou quando eu vi um tuíte da @Vicky_Costa fazendo um comentário sobre a falta de referência de mulheres negras, de afro e cachos poderosos no Google. Intrigada com essa informação, resolvi entrar em contato com a Victória e pedir que ela fizesse um post para o Mesa, falando justamente sobre isso. Com muita lindeza, ela topou o convite e escreveu o texto a seguir. 
Obrigada, Vicky.
__
No último dia 29 foi a solenidade da minha graduação em Bacharelado em Cinema e Audiovisual e eu tinha uma missão: arrumar meu cabelo
Pra dar uma rápida explicada: Em 2015 passei pela transição capilar (que é deixar de alisar o cabelo/usar química para que ele volte à textura natural) e, há pouco mais de 8 meses, fiz o meu BC (Big Chop, corte da parte do cabelo que ainda tem química). Então, depois de quase 8 anos (sim!), via meu cabelo com cachos novamente. Chegada a ocasião da formatura, logo comecei a pensar sobre como usá-lo na solenidade. Como boa jovem, fui direto ao google e… me decepcionei. Não achava referências de imagens de mulheres com cabelos black se graduando ou, quando eram negras, em grande parte das imagens tinham o cabelo alisado. Bom, isso me deixou bem triste, porque já me remeteu às questões sociais, acesso aos estudos, exclusão racial e etc, que acabam estando embricadas ao contexto. Logo fui chorar com as migues com quem falo sobre o assunto e um deles (com mais intimidades com a internet) me passou as seguintes imagens que achou:


Algumas das opções que cheguei a achar foram penteados que prendiam o cabelo inteiro ou uma parte dele, porém 1) Meu cabelo ainda tá meio curto em algumas partes para conseguir prender :(  2) Eu queria a liberdade dele solto, por uma questões de facilidade e identidade mesmo. Como durante a transição capilar aprendi muito mais do que cuidar bem do cabelo, a questão política e a aceitação/orgulho do cabelo, da pele e de todo o histórico negro, não queria nem poderia me reprimir nesse momento, queria mesmo usar o (mini)black. 
E mais: a solução precisava ser versátil para que não amassasse quando colocasse o capelo e de modo que ele ficasse equilibrado na minha cabeça, assim como não poderia bagunçar ou amassar para um jantar que tinha logo depois (não teria tempo pra ajeitar ou mudar de penteado. Cacho seco complica de mexer). Ciente dessas observações, fui em frente. 
Depois de muitos testes sozinha em casa, de pensar em como queria e como eu me sentiria bem, escolhi pensar sobre como meu cabelo ficaria apenas quando tivesse o capelo em mãos, até pra não correr o risco de me planejar toda e não dar certo com o dito "acessório". Chegou a antevéspera e o capelo estava comigo, fiz uns testes partindo, prendendo do lado, deixando solto, etc. 
No dia, foi isso: Eu mesma arrumei meu cabelo. Comecei cedinho no dia pra, caso não desse certo de primeira, ia ter uma margem de tempo pra molhar/desfazer e começar tudo de novo (rs) e pra sair bem do jeito que eu queria e conhecia (porque às vezes só a gente sabe do comportamento do nosso cabelinho). Parti ao lado passando creminhos e modelador pra dar uma segurada e deixei que ele tomasse a forma que quisesse enquanto secava. Bom, ele obedeceu. Tudo parecia sob controle na primeira tentativa, então assim fui pra solenidade. Consegui usá-lo na cerimônia e no jantar que teve depois, então foi tudo lindo.
Vicky arrasando na sua Solenidade, com o capelo, os cachos e toda sua beleza.

O "resultado" desse texto acaba não sendo uma grande solução capilar ou com vários tipos de penteado e etc, mas acho que, mais que tudo isso, é um incentivo para exercitar esse conhecimento e amor próprio e fazer essas coisas do jeito que nos sentimos bem, dessa forma não tem como ficar desconfortável ou tristinha com o resultado, garanto ;) 

Victória Costa é Publicitária e Produtora Audiovisual. Além de tudo isso, tem orgulho dos seus cachos e da sua identidade. Parabéns por mais essa etapa, Vicky! 

@Vicky_Costa

Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.