28 com jeitinho de 15

Sumida da mídia por um período considerável, Hilary Duff deu a impressão de que tinha desistido da carreira de cantora/atriz, para se dedicar à sua série de livro Elixir e também ao seu filhote. Mas não foi o caso. Hilary está aí, de volta, de cabelos lilás e um álbum de retorno.

A primeira impressão que fica, ao ouvir Breathe in. Breathe out, é de que se trata de uma coletânea pop, com diversas referências do country e do eletrônico, transfomando-o em uma série de canções gostosinhas e dançantes, mesmo que a voz de Hil não seja uma das melhores que temos na indústria fonográfica atualmente. Longe de ser dona de um gogo poderoso, Duff se foca em canções que ficam dentro dos eu alcance vocal, sem batidas complexas, letras rebuscadas ou algo que remeta à um álbum fenomenal.
Na verdade, Breathe in. Breathe out chama a atenção por ser um típico álbum de final de semana. Daqueles que você deixa tocando enquanto faz outra coisa, dirige pra casa da sua amiga, vai ouvindo no busão enquanto pensa na vida e por aí vai. Falando nisso, essa parte é cabível de notabilidade, porque faz a gente ver que, apesar de ser uma mamãe e ter crescido, Hilary parece se manter com o mesmo nicho de público de há 10 anos, quando ainda era Lizzie Maguire. Explico: 10 anos depois de músicas como So Yesterday, Come Clean, What dreams are made of e The beat of my heart, esta que vos fala achava que ouviria uma evolução sonora feita por Duff, com música mais adultas e letras que fizessem sentido com quem ela é agora, mas na realidade é como se ela apenas tivesse reciclado a sua produção, mas ainda quisesse estar próxima ao público de 15 anos. 

Bom, não que isso seja um demérito, necessariamente, mas sinceramente as minhas lembranças de 15 anos são lindas, incríveis, recheadas de miguxos e tudo, mas as músicas que eu me relacionava são bem diferentes na minha vida agora e tenho a impressão de que as músicas de Hilary, nesse estágio da vida dela, deveriam ser muito mais do que baladinhas teens.
Mas enfim, esse é o nicho que ela escolheu de encaixar e apesar de ela continuar cantando sobre crushes, boys e flerte seu cd tem alguns destaques, com músicas realmente divertidas e, como falei, prontas para serem tocadas num final de semana enquanto você, sei lá, arruma o seu quarto e dança com a vassoura...
Destque para as músicas: Sparks (adoro na balada!); My kind; Confetti; Breathe in. Breathe out; Tattoo (que foi co-escrita por Ed Sheeran) e Night Like This.


Interessante pensar que, vinda de um excelente e maduro cd, o Dignity, era esperado que Breathe in. Breathe out. seria ainda mais interessante, mais bem produzido e com algo a acrescentar... Sdds With Love, Gypsy Woman, Dignity e Play with fire...

Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.