Mulheres de Austen


Jane (Keri Russell) sempre foi fascinada pelo mundo retratado nos livros de Jane Austen. Ela sempre sonhou em encontrar um Mr. Darcy para chamar de seu, viver usando aqueles belíssimos vestidos, se sentir cortejada, amada e...bem...feliz. Então, com uma inédita chance de viver esse sonho, Jane se prepara e embarca para Inglaterra, rumo a uma enorme mansão chamada "Austenland", onde, cercada por atores e uma vida criada, Jane é transportada para as páginas dos livros de Jane Austen e conhece o seu próprio Mr. Darcy. Mesmo que as coisas não sejam exatamente do jeito que ela esperava.

Bom, com esse plot inicial, deu pra ver que "Austenland" é o tipo do filme que deixa, principalmente, as moças de plantão, suspirantes e desejosas de passar quinze dias como a personagem do filme e terminar a sua estadia sendo pedida em casamento pelo homem dos seus sonhos. Mas se você pensa que vai se deparar com uma história que já começa o filme e você sabe o final, você se engana! Existem alguns plot twists ao longo dele, que servem pra gente manter a atenção e ao mesmo tempo perceber que nem tudo é o que parece, mesmo em comédias românticas.
Também, se você procura por uma releitura dos romances de Austen, propriamente ditos, então esqueça isso. O filme é, verdadeiramente, uma história livre, que usa do mundo criado pela autora britânica para, não só satisfazer os fãs de plantão, mas também para fazer uma sutil crítica àqueles que vivem de fantasias e acabam esquecendo de viver a sua própria vida.

Essa questão, inclusive, é amplamente tratada na história, onde fantasia x realidade se degladiam longamente, até resultarem em uma interessante mistura que faz muito sentido no filme. Os sentidos do que acreditamos por ser verdade e fantasia, assim como os dos personagens vão se perdendo ou mudando ao longo do filme, de forma que o torna mais interessante do que dispensável.
Keri, que eu já conhecia de alguns trabalhos anteriores (O som do coração, Felicity e Um faz de conta que acontece), continua me dando a impressão de sempre faz o mesmo estilo de personagens. Normalmente são mulheres decididas, sonhadoras, inteligentes e orgulhosas de serem o que são. Não me surpreendeu em nada que ao longo da história eu me deparasse com algumas referências diretas à algumas personagens de Austen, justamente pela forma como a sua personagem é direcionada para nós. 
Ao fim, não existe nada de realmente extraordinário em "Austenland", mas diverte bastante e faz a gente pensar se não somos uma dessas mulheres de Austen que só estão a procura do seu lugar e do seu amor no mundo.

Mais um filme para a minha lista de 24 filmes para 2015, da blogagem coletiva do Blogs que Interagem. Este filme está na categoria Viagem.

Share:

2 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.