Bolo de ouvir

Através de letras afiadas, Alexz mostra mais uma vez que tem muita coisa para dizer sobre amores, relações, realizações e o próprio comportamento humano.

Vai, você sabe que eu sou fã dessa canadense. Você sabe que eu chorei como uma criança, quando uma das minhas berts trouxe o cd dela autografado pra mim (thanks Maddie S2). E você sabe que sempre que eu posso estou divulgando a música dela. Se não sabia, tá sabendo agora e eu tenho muito prazer em te guiar em mais uma inserção no mundo de Alexz Johnson.
Em seu segundo álbum, oficialmente lançado e sem ser atrelado a nenhuma grande gravadora ou algum show de tv, Alexz continua fazendo as sonoridades que marcam a sua forma de cantar, onde é possível ouvir uma série de sons não muito usuais, além da inserção de instrumentos na pista princial, que, normlamente, estão na pista secundária, como o baixo e instrumentos metálicos. Como essa que vos fala é fascinada por sons graves, fica encantada todas as vezes que ouve "Let 'em eat cake", provando mais uma vez porque é uma das minhas cantoras favoritas.
Sem medo de ser feliz e fazendo aquela mistura melódica que a gente gosta, Alexz brinca e surpreende com momentos onde melodia, letra e voz se unem perfeitamente, resultando em únicas interpretações. E fora os aspectos musicais, as letras de "Let 'em eat cake" dão a cara a tapa, da mesma forma que "Voodoo" dava, quando brinca com a as diferentes conotações de uma mesma palavra e coloca a potência desses múltiplos significados naquilo que quem ouve acredita (ou não). Esse jeitinho todo Alexz de interpretação musical exije atenção dos ouvintes, de modo que a cada vez que você ouve o cd, descobre novos detalhes. 

Para completar, Alexz continua com a sua assinatura meiga na hora de cantar, suave e que quase não busca floreios vocais e a verdade é que nem precisa deles. A marca de Alexz é mesmo essa, em que, claramente vemos o mundo através dos seus olhos e são neles que conhecemos os diferentes momentos da vida dela, basta colocar todos as suas obras juntas, que você vai perceber isso. 
Entre algumas canções que já estavam contidas no EP Heart e uma nova interpretração de "Gonna Get it", novas músicas brilham numa coletânea deliciosa de ouvir com o vidro do carro aberto. Dou destaque especial para as músicas "Cologne", "Let 'em eat cake" e "Tears of a dragon".
"Let em eat cake" não é a segunda coletânea de Alexz, durante a sua adolescência ela fez parte do elenco de Instante Star, onde lançou 4 CDS. Depois disso, sua carreira a levou para diversos caminhos, inclusive um contrato frustrado com uma gravadora que acabou rompendo com ela. Assim, todas as coletâneas que vieram em seguida foram feitas de modo independente, tal como "Voodoo" e o dito álbum aqui descrito, além de alguns outros EPs, apenas lançados para a internet, como "Skipping Stone", "Blue" e "Heart". Com a ajuda de financiamento coletivo, Alexz fez alguns shows e ainda lançou uma versão Reloaded de "Voodoo". 
Falei com mais detalhes sobre a carreira e a empreitada independente de Alexz aqui. Conheça e se apaixone também ;D

Share:

2 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.