E eles salvam um ao outro

O que você faria se descobrisse que o mundo vai acabar em menos de um mês? Quais tipos de atitudes tomaria? Quais pessoas se esforçaria para ver e quais erros gostaria de consertar? 
Bom, sobre essas questões e muitas outras, "Procura-se um amigo para o fim do mundo" trata, sempre lembrando e ressaltando como uma notícia como essa pode causar um pandemônio no mundo contemporâneo, como assaltos, uma completa desorganização empresarial, depressão generalizada e, claro, voos lotados. 


A história de "Procura-se um amigo para o fim do mundo" começa quando é anunciado a todos que um meteoro está em rota de colisão com a terra e que todos os esforços para mudar a sua trajetória foram fracassados. Neste momento conhecemos Dodge (Steve Carell) que é simplesmente abandonado pela esposa e acaba passando boa parte do último mês de sua existência sozinho. Até que conhece a sua destrambelhada, porém adorável vizinha, Penny (Keira Knightley), que acabou de perder o último voo para a Inglaterra, onde tentaria consertar alguns erros passados.
Os dois acabam passando a última semana juntos, depois de Penny entregar a Dodge uma carta que foi recebida por ela, mas endereçada a ele de seu antigo amor. Com a promessa (mesmo que sob pressão) de ajudar Penny a viajar até sua família, os dois seguem em uma jornada atrás de tudo que gostariam de fazer até o que o mundo acabe, sem contar que eles tem a oportunidade de conversar e se conhecer melhor e é aqui que o filme se torna ainda mais interessante. Repare bem, muitos podem pensar que o mais importante na história é o fator amor entre um homem e uma mulher, mas na verdade se trata de se encontrar e de compreender a si mesmo, descobrindo, inclusive a tal peça que procuramos a vida inteira. 
Sendo assim, as questões familiares, dramas pessoais e as esolhas que fazemos são os principais norteadores dessa comédia agridoce. Agridoce, porque trata da mania que os seres humanos tem adquirido cada vez mais em deixar relacionamentos pela metade e não apenas relacionamentos amorosos, mas relacionamentos interpessoais, o que os torna cada vez mais frágeis e, de certo modo, fáceis de acabar. Relacionamentos passageiros e sem esforço real em ser "eterno".
De fato é um filme interessante, mas sem a pretensão de ser inesquecível. Ele se desenvolve através de um enredo, que diversas vezes já vimos, mas só num formato ao qual no final nem tudo dá certo e talvez é isso que torna esse filme diferente. Não é que no último momento as coisas não dêem certo, mas elas dão certo de outro modo. E eles salvam um ao outro.


Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.