Revivendo Margaridas

Cores vibrantes, visual de "casa de boneca", figurinos que parecem ter saído de outro mundo e uma história simples e encatadora. Assim é Pushing Daisies, uma série cheia de potencial, mas que acabou no meio da segunda temporada, deixando muita gente triste e cheia de saudade.


Pushing Daisies conta a história de Ned, um confeiteiro de tortas, que ainda criança descobre que possui um dom bem interessante. Tudo que ele toca e está morto volta a vida, porém esse dom tem algumas péssimas pegadinhas, uma delas é que se o ex-morto não voltar à morte em 1 minuto, aleatoriamente, outra pessoa (ou ser vivo) morre em seu lugar. A outra pegadinha é que, se Ned tocar novamente no morto-vivo esta pessoa morre de novo e dessa vez é para valer. Durante a infância, Ned acaba percebendo que precisa ter muito cuidado com o seu dom, pois, por causa dele, Ned perde sua mãe e faz Charlotte (a menina que ele era apaixonado) perder o pai. 
O tempo passa e Ned faz amizade com Emerson Cod, um detetive particular que esconde muitos mistérios e é a única pessoa que sabe do segredo de Ned. Os dois acabam se aliando para pegar bandidos e Emerson logo se torna o detetivo com a maior porcentagem de casos resolvidos. Na vida adulta de Ned, também está Olive Snook, ex amazona, resolve trabalhar no Pie Hole (nome da loja de tortas de Ned) para ficar próximo do homem amado.
Em meio a isso, um assassinato chama a atenção de Ned na TV, assim como de Cod, que logo se interessa em descobrir mais sobre a morte da moça no navio. Acontece que a moça é Charlotte Charles, amor de infância do fazedor de tortas. Ele não consegue matá-la e acaba deixando-a viver, quebrando as regras de seu dom. Os dois se apaixonam, mas aí que tem um grande problema...como podem ter um relacionamento sem se tocar?
Apelidado de "contos de fadas forense", Pushing Daisies conquista pela simpática história e contagiantes diálogos. E apesar da história basicamente girar em torno dos mistérios que são resolvidos por Emerson, Ned e Charlotte, os dramas secundários, principalmente os que tem as tias ex nadadoras de Charlotte, são bem amarrados e com uma construção em que o cenário fofo e os figurinos maravilhindos não são a tradução de todo o suspense que cada episódio provoca no espectador atento.
Diferentemente dos milhões de outros seriados de TV forenses e/ou investigação, Pushing Daisies está mais próximo da comédia, do que do suspense, tem uma linguagem fácil de acompanhar e personagens carismáticos. Sem contar que a história de amor de Ned e Chuck é algo bonito de ver, pois não é melodramático e exagerado, mas ingênuo e sincero. Realmente te deixa triste por eles não poderem se tocar, mas feliz porque eles se amam de verdade.
É bem verdade que a série foi um sucesso de críticas e público, principalmente na sua primeira temporada, mas com a greve de roteiristas que aconteceu em 2008, Pushing Daisies acabou se prejudicando bastante e teve alguns hiatos entre episódios e outros, com isso a audiência caiu bastante...mas, nós ainda revivemos os momentos mais bacanas dessa série e vamos continuar revivendo, porque tenho certeza que você ainda não viu algo como ela.
Ah, e não esqueçam de prestar bem atenção no narrador da história ;)

Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.