Alguém que vamos conhecer

Uma das músicas mais tocadas recentemente é "Somebody that I used to know" do Gotye. Ouvir pela primeira vez é meio esquisito. Parece uma daquelas músicas antigas, esquecidas e resgatadas por alguém. Não que isto seja ruim, na verdade é interessante, pois traz algo de novo para os nossos ouvidos parece que, tão acostumados com as mesmas coisas.
Lá pelas tantas a gente se depara com uma voz feminina. Delicada, fofa, com um timbre gostoso de ouvir e que presenteia a música com ainda mais vida. A voz é de Kimbra.
Kimbra nasceu na Nova Zelândia, no mesmo ano que eu (1990), e apesar de novinha já tem quase 10 anos de músicas de sua autoria escritas em vários caderninhos, músicas que tendem a levá-la ao sucesso mundial. De franja, cílios gigantescos e batom vermelho, Kimbra escreve músicas leves, viciantes, dançantes, variadas e diferentes.
Talvez seja pela sua personna que lembra bastante uma boneca de cordas, mas Kimbra parece se resignificar em cada música, sendo que o seu cd "Vows" tem faixas ímpares e que, se tirar a voz de Kimbra, não parecem ter sido interpretadas pelo mesmo artista. Para alguns isso pode ser ruim, mas pessoalmente vejo como uma demonstração de repertório e uma adequação aos mais diferentes nichos e, de qualquer forma, parece estar dando certo para a moça.
"Vows" foi lançado em agosto do ano passado, mas somente na Austrália, o que poderia significar que a sua fama seria local, no entanto depois de ter participado da canção de Gotye seus produtores viram que seria uma boa investir nela internacionalmente. Foi quando a Warner Bros Records fez uma tiragem para ser vendida ao redor do mundo e ela estourou. Assim, estando com o artista certo na música certa, garantiu que Kimbra ganhasse um holofote pessoal.
Escute "Vows" clicando na imagem
Kimbra foi assunto na Rolling Stones, que a classificou como uma das compositoras/cantora mais inventivas da atualidade, que consegue experimentar sem comprometer seu estilo e ainda surpreender nas apresentações ao vivo.
Além disso, Rob Cavallo, colunista da New York Times escreveu ótimas críticas à moça e afirmou que ela tem gabarito para ser dona de uma carreira sólida e longa. 
Bom, se de fato a previsão de Cavallo vai ser concretizar, isso ainda não sabemos, mas uma coisa é certa Kimbra está ganhando mais espaço e reconhecimento, de forma que espero (e acho que não sou a única) que ela não seja engolida pela fugacidade de hoje em dia.

Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.