Oswald, the Lucky Rabbit

Antes de Mickey Mouse e antes mesmo de Walt Disney se tornar uma companhia multimídia e multimilionária, Walter Elias Disney tinha um contrato com uma distribuidora que divulgava suas criações e que vendia suas obras para produtoras, como a Warner Bros., a Universal e Paramount.
Depois do sucesso de "Alice in the Cartoonland" fez, a popularidade de Walt Disney como um criador era divulgada e com o lucro que eles obtiveram a ideia de Walt e seu irmão Roy foi a de investir em um nome-marca e um transformar a pequena produtora em um empresa cinematográfica de verdade.
The Walt Disney Studios nascia.
Em 1926, Walt foi informado que a Universal Pictures procurava por um personagem novo e que eles já haviam decidido que se trataria de um coelho. Disney e Iwerks (desenhista principal dos estúdios) criaram então, um coelho esbelto e jovem chamado Oswald e os críticos e produtores da Universal se apaixonaram por ele.

De fato Walt não tinha se acostumado com o sucesso e não o queria, de forma que quando mais uma bomba coorporativa estourava em seu peito, ele conseguiu dar a volta por cima. Em 1928 Walt reuniu-se com a distribuidora para renovar o contrato com ela, só que neste momento ele descobriu que quando Disney assinou o primeiro contrato com Margareth (representante da empresa) não leu uma das clausulas que dava todos os direitos de personagens criados por ele e vendidos através de Margareth, para a empresa que comprou a ideia.
Ou seja, o Coelho Oswald agora pertencia à Universal e a Margareth.
Assim, Disney foi “intimado” a associar-se à Universal, ou eles ficariam com o Oswald e continuariam a série de desenhos sem ele. Disney não aceitou e descobriu que 14 de seus 17 desenhistas já tinham assinado contratos secretos com a Universal. Apenas 3 (incluindo Ub Iwerks) tinham ficado na The Walt Disney Studios.
A partir daquele dia Oswald virou peça exclusiva da Universal e Disney prometeu a si mesmo que nunca mais trabalharia para alguém.
Na volta para casa lembrava-se de seus tempos mais difíceis em que seu único companheiro era Mortiner (nome que ele deu ao ratinho que aparecia de vez em quando no escritório de Kansas). Foi ai que teve a ideia de criar um camundongo com feições humanas. Sua esposa Lilly não gostou do nome Mortiner e sugeriu o seu nome favorito, Michael.
“Que tal Mickey?!”, Disney concluiu.
Quando encontrou seu irmão e Iewrks disse entusiasmadamente: “Não temos mais o Oswald Rabbit, mas temos o Mickey Mouse!”.
Mas não pense você que Oswald ficou de mão beijada para a Universal. Walt Disney entrou com um processo pedindo o personagem de volta, porém não conseguiu resolver nada em vida e apenas em 2006 que o coelho voltou a ser da Disney e começou a integrar a turma de personagens criados por Walt e liderados por Mickey.
Oswald não foi usado em animações, mas hoje tem aparecido nos videogames da empresa, que investiu milhões na popularização do coelhinho em Epic Mickey 1, de forma que no novo jogo, Epic Mickey 2, os dois estão de volta. Na nova aventura, será possível jogar com os dois personagens em parceria. E em um lugar chamado Wasteland, abandonado há 80 anos e cheio de atrações da Disney, Mickey usa um pincel mágico e Oswald, um controle remoto que lhe permite dominar a eletricidade.

O game ainda está em desenvolvimento, mas promete ser um sucesso no próximo semestre e segundo a Disney o jogo terá versão para as plataformas: xbox360, Playstation 3 e Wii.

Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.