De geninha a burlesca

Das turmas do Mickey, acho que ela foi a que demorou um pouco mais para despontar. Em comparação com Britney e Justin, que fizeram sucesso logo próximo de seus 15-16 anos, Christina Aguilera precisou de um pouco mais de tempo, conseguindo gravar de verdade aos 18 anos.
Eu assisti ha alguns dias o E! True Stories, que foi dedicado à Christina sendo este o motivo de eu ter ido atrás para conhecer melhor o seu trabalho, pois antes disso eu conhecia os hits, como "What a girls wants", "Genie in the bottle", "dirrty", "beautiful", "ain't no other man" e "candy man", mas não sabia como o seu trabalho era tão reflexo de quem ela é como pessoa e como artista.
Para mim, muito mais do que se cantar bonito e se ter uma melodia bonita (como a Christina consegue se adequar, na maioria das vezes), o artista tem que ser capaz de me contar um pouco dos seus sentimetnos e intenções de quando escreveu aquela música. Eu quero sentir, ser transportado e acreditar!
E foi assim que a Christina me convenceu de que é uma artista de verdade e que deve ser respeitada e admirada como tal.
Poucos sabem de sua história pessoal, apesar de ela falar bastante dela nas músicas. Quem não conhece minimamente acredita que ela sempre foi rica. Erro fatal. Ela sofreu muito para chegar onde chegou. Entrou no Clube do Mickey e um ano depois ele foi cancelado. Perdeu tudo umas duas vezes e teve que seguir adiante sem medo e precisando olhar para frente, caso contrário tudo o mais iria naufragar.
Christina, então, teve a oportunidade de gravar uma música para a Disney, do desenho Mulan. "Reflection", que no Brasil foi regravada pela Sandy. Depois de gravar a música, novas portas foram abertas para ela, de maneira que seus novos contratantes pagaram pelo lançamento de dois cds.
O primeiro, conhecemos as músicas: "What a girl wants", "Come on over" e "Genie in the bottle", sendo que esta terceira se tornou um hit, despontando até "Crazy" da Britney Spears, que já estava em seu 3o single. O segundo cd foi o "Mi reflejo" que despontou como o melhor cd de musica latina, lançado nos EUA e ficou no top 3 o ano inteiro. Mi reflejo tem as músicas "Ven Conmigo (Solamente Tu)", "Genio Atrapado" e "El Beso Del Final" - este terceiro foi uma das músicas temas do filme "Dirty Dancing 2 - Havana Nights".
O primeiro cd foi basicamente para lança-la no mercado. Com musicas de pegadas dançantes e alegrinhas. Christina aceitou tal, pois queria, de verdade chegar ao estrelato e ser conhecida pelo seu talento. Ela fez como a gravadora pediu e ficou com o mesmo estilo à lá Britney virgem.
Já o Mi Reflejo foi uma investida perigosa, que se provou boa, quando Christina despontou sendo respeitada, também no mercado latino. - para aqueles que não sabem, Christina é descendente de equatorianos e fala muito bem espanhol.
Depois de cumprir com seu contrato, como o combinado. Ao auge de seus 21 anos, Christina fazia shows e mais shows. Chegou ao esgotamente fisico e mental, além de estar com o coração partido (seu 1o namorado, Jesse alguma coisa, que era dançarino dela - terminou o relacionamento de 3 anos que tinha com a cantora). Ela adoeceu algumas vezes até que fosse o ponto final para sua mae. Elas demitiram o antigo emrpesário e partiram para um nova empreitada, ainda na gravadora que a colhera da primeira vez.
Seu 3o album foi uma investida completamente diferente. Tanto visual, quanto sonora. Christina flertou com o rock, com o metal e até com o eletrônico clássico, deixando de lado aquele visual limpo e de menina pura, tornando-se...uma lady!
Ela foi convidada para participar do "Lady Marmalade", música que fazia parte da trilha sonora do filme "Moulin Rouge". Christina cantou Lady Marmalade com P!nk, Maya e Lil'Kim, e as três se completaram em um som excelente, suas vozes se completavam. Christina, obviamente foi convidada para ser a voz principal do quarteto, uma vez que as outras tres cantoras estavame m começo de carreira, comparado ao trabalho que ja tinha sendo desenvolvido por Aguilera.
No clipe musical de Lady já percebemos claramente uma mudança visual de Christina, que muitos, iludidos, quiserama creditar que ficaria no clipe, mas...ela lançou o striped. O cd, além de ter abalado estruturas pela mudança ousada no look da cantora, ainda abalou mais ainda por seu primeiro single ter sido Dirrty.
Quem não lembra do nojinho que sentiu quando viu a Christina lançando moda de sujeira, moda de muito óleo para parecer suor e moda de piercing no queixo?! É, ela sofreu uma metamorfose. E tinha um monte de gente que não entendia (eu inclusive) o que tinha acontecido? Britney ainda era virgem e lançava "In the Zone", enquanto Xtina tornava-se...vagaba? louca? tramp?
Striped foi o primeiro cd totalmente produzido pela própria Christina e eu me surpreendi em descobri o contexto de tal. Ela quis produzir, pois queria colocar neste cd toda a sua carga emocional acumulada dos ultimos 10 anos. Sim, ela ia se "despir" completamente para todo e qualquer um que tivesse um pouco mais de atenção para ouvir as canções. E de fato, o cd é pesado, é tenso. Em "I'm Ok" você ouve ela, literalmente, chorando durante a gravação. Ele tem tal peso, que mesmo quando você pensa que ela ja falou de tudo, ela fala não falou de nada. Em Striped ela falou de se tornar mais forte, de sofrer por causa de um amor, de um primeiro amor porto-riquenho, de uma solidão, de agradecimento à mãe, de sonhar acordada e de realizar sonhos. Seu foco, no entanto, é falar do pai. Ele abusava de sua mae e quando começou a descontar nas filhas, ela desapareceu com elas, para protegê-las.
O cd tem, pelo menos, 4 musicas que falam disso.
Neste meio tempo, ela conheceu Jordan Bratman (Jordy) por quem se apaixonou completamente e que a mostrou o verdadeiro amor. A história dos dois é belíssima, mas não irei me alongar muito. Eles se conheceram em 2003 e construiram um relacionamento de 2 anos, até seu casamento em 2005. Jordan, segundo Christina foi a maior inspiração para o seu 4o album, Back to Basics (o melhor album de todos dela, na minha opinião).
Inovando, de novo, e trazendo elementos de fonk, soul, jazz e blues Back to Basics está em #98 no renomado ranking de 1001 discos que você deve ouvir antes de morrer, e ainda nos entrega, de presente, uma Xtina madura tanto profissionalmente, quanto pessoalmente.

Com uma arte que é ao mesmo tempo clássica e explícita, Back to Basics é uma experiência a ser saboreada. É fácil entender por que Christina lamentou o fato de que o download de músicas esteja rapidamente tornando obras assim obsoletas. Se existe alguém capaz de evitar que isso aconteça, é ela. (caminho da Roça)
 Back to Basics deve ser ouvido e saboreado, e ainda por cima deve ser aclamado, SIM! Só um trechinho da introdução:
Então, aqui eu estou hoje
Com tributo eu vou pagar
Para aqueles antes de mim que
Regulamentaram e pavimentaram esse lugar
Então para Deus eu rezo que ele
Irá me dar à força para
Continuar a diante a dádiva da canção
Em sua boa fé, em sua boa fé...
Eu estou voltando ao básico
Aonde tudo isso começou
Eu estou pronta agora para voltar nisso
E quero entender
Qual o modo das cantoras Soul
E as figuras Blues que me inspiraram
Uma geração mais elevada
Os criadores e revolucionários do Jazz
Que fizeram tanto para si mesmo e a se dedicaram
 Depois de Back to Basics, Christina engravidou de Max (seu grande amor) e parou por mais ou menos 2 anos, entre a turnê de Back e o lançamento de seus "Greatest Hits - A decade of Sucess. It keeps getting better". Neste greatest a cantora junta vários dos seus antigos sucessos em novas roupagens, trazendo um pouco do som delicinha do Chemical Brothers e Goldfrapp, cantores de um electro melódico e bem futurista. Eu achei muito ruim, mas o povo da Bilboard não, em sua primeira semana ele ficou em #9, então acho que gostaram.
Depois disto, ela lançou o Bionic, com as mesmas características futuristas e com a participação especial de Linda Perry, DJ Premier,Mark Ronson e as bandas britânicas Goldfrapp e Ladytron. Sendo sincera ainda não parei para REALMENTE ouvir o cd, mas não sou muito chegada ao som eletrônico em demasia. Sou o tipo de pessoa que associa eletrônico com balada, e depois de passar um mês ouvindo Striped, Mi reflejo e Back to basics, não consegui apreciar tanto quanto os três anteriores.
Ano passado um monte aconteceu com a Christina. Ela e Jordan se separaram depois de 5 anos juntos, ela ganhou uma estrela na calçada da fama, teve que engordar uns quilinhos para fazer Burlesque, já começou as gravações para o seu 6o album e ainda começou a namorar de novo, com Matthew Rutler.
Burlesque eu vou assistir neste final de semana, mas todas as críticas dizem que o filme é fraco e descompensado. Pretendo tirar minhas próprias conclusões e se achar relevante compartilhar com vocês. Mas a verdade é que na trajetória de Christina Maria Aguilera compreendemos a forte conexão do seu pessoal com a sua música e para mim, qualquer artista que consiga se abrir desta maneira tão intensa e escancarada merece aplausos.
Ela, que começou como uma gênia em uma garrafa, foi libertada, cresceu e apareceu e ainda por cima aprendeu com o rock, aprendeu com o jazz e agora aprende com o electro. Curiosos para saber o que vem a seguir?
Sites para baixar a discografia da cantora: (aqui e aqui)
Link curto para o post: http://migre.me/3U1lM

Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.