Dobrador de Ar


Final de semana com namorado e final de semana com cinema. "O ultimo dobrador de ar", baseado no desenho animado da Nickelodeon que tem o nome de “Avatar: A Lenda de Aang”.
O filme tinha por objetivo resumir toda a primeira temporada do desenho, em que se conta o livro da água e tenho que admitir que as coisas que estavam ali que me deixaram feliz foram maiores e mais presentes do que as que me fizeram querer abandonar o filme.
Basicamente, Aang é o último sobrevivente dos Nômades do Ar (o povo com a exclusiva habilidade de manipular o ar ao seu redor) e com doze anos de idade ele hibernou depois de ter descoberto ser a encarnação do Avatar, o espírito do planeta manifestado em forma humana. Ele adormeceu por 100 anos, até que foi achado por Katara e Sokka, dois moradores da nação da agua (katara consegue controlar a agua) que resolvem ajudá-lo nesta jornada.
Neste meio tempo, aparece o Principe Zuko que, apos ser deserdado por seu pai (o rei da nação do fogo) fixiona-se em capturar o Avatar, achando que só assim restaurará a sua honra.
Agora, o que faz o Avatar ser tão especial? Bom, por causa de seu destino ele controla os quatro elementos e tem a missão de manter as quatro nações em paz, só que como ele fugiu sem receber o treinamento, ele precisa procurar mestres que possam lhe ensinar o uso correto destes elementos. Por ai, ele mantem contato com os dragões sagrados (simbolo dos espiritos na cultura oriental) que tentam instrui-lo para fazer o melhor e acabar com a guerra que a nação do fogo impos sobre todas as outras atrás do poder.

O nome Avatar do desenho não tem o mesmo significado do Avatar de James Cameron. Na verdade Avatar é uma manifestação corporal de um ser imortal segundo a religião hindu, por vezes até do Ser Supremo. Deriva do sânscrito Avatāra, que significa “descida”, normalmente denotando uma (religião) encarnações de Vishnu (tais como Krishna), que muitos hinduístas reverenciam como divindade.
Muitos não-hindus, por extensão, usam o termo para denotar as encarnações de divindades em outras religiões.#CR http://blogdajaquinha1234.blogspot.com/

O que fica bem claro no filme é que cada nação tem um tipo fisiológico único e que se colocássemos para a nossa realidade, o ar seriam os tibetanos, a agua seriam os esquimós, a terra o pessoal de Taiwan e o fogo seriam os indianos; o que faz sentido pelas características religiosas e tradicionais dos personagens.
O filme segue uma linearidade entre conflito, rebelião e submissão, e honra e dignidade sao pontos fortíssimos e ainda nos deparamos com jogos imagéticos realmente bons, principalmente para um filme considerado para o publico infanto-juvenil. Por sinal, achei que muito pelo contrário, esse filme nao tem elemntos infantis, achei que muitas coisas que ali apareciam eram primariamente adultas.
Sendo sincera, eu nao acompanhei o desenho animado, acho que devo ter assistido uns 3 ou 4 episodios soltos, mas lembrava-me de ter construido uma imagem dos personagens e o menino que faz o Aang parecia no filme mais novo que no desenho. Outra coisa que me incomodou um pouco foi a perda de tempo em cenas qu poderiam ter sido cortadas, mas ademais o filme em si passa voando.
Pontos fortes vieram em conversa com Nilo depois da sessão, que me disse que o filme foi bem fiel ao desenho e que apesar de terem condensado a história, nao inventaram nada extraordinário ou fizeram cortes nada a ver.
Dou enfase ao ator que faz o Sokka. Demorei para reconhece-lo, sem a careta de vampiro. Na verdade achei muito interessante o fato de nao te-lo reconhecido de primeira, o que prova que ele nao é igual ao Rob. P(nao sei escrever o sobrenome dele) que ja nasceu com a cara de vampiro que brilha no sol.
O filme termina com um gancho e admito que estou curiosa para saber como seguirá, fiquei triste de nao ter podido ver em 3D (deve ser sensacional), mas o segundo assistirei com certeza! (Vai comigo Nilo?)
Filme que deve ser assistido na sala de cinema! o/\o

Share:

1 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.