Espetacular! Espetacular!

O ator, tao conhecido, Preposição fez um teste para ser protagonista dentro de uma nova companhia de teatro.
O que parecia lhe trazer em total submissao com o seu antigo diretor, o fez repudiar qualquer forma de prensa, represália e afins. E mesmo que tal ação tivesse lhe custado algum tempo sem trabalhar, ele queria encontrar um lugar em que ele pudesse se expressar. Ser ele mesmo e ter o direito de pensar.
O ator chegou no referido palco e começou a agir como sabia, com naturalidade, foco e atenção.
Diretor: Seja voce mesmo! -exclamou uma voz ao longe.
Ator: Mas como posso ser eu mesmo, se sou um ator?
Diretor: Do que voce é feito? Do que seus sonhos e vontades sao feitos? Quero ver isso transparecer!
Preposição tinha uma carreira promissora, e o novo diretor enxergava isso claramente! Mais ainda, porque o diretor, como Preposição veio a descobrir, nao se auto-denominava desta maneira. Ele nao pensava em si como mandante do espetáculo, mas alguem que organizva as ideias, as ideias que vinham tanto dele, quanto de Preposição.
Diretor: Seja bem vindo ao Espetacular! Espetacular!
Ator: O senhor está me dizendo que eu passei? Que estou na Companhia?!
Diretor: Por favor...senhor nao! Mas sim, voce está na companhia, vai trabalhar diretamente comigo.
E o ator sentiu aquela corrente surgir de novo em sua espinha. Tinha uma felicidade que precisava dividir com todos! Ele exalava isso em cada poro do corpo.
Ator: TRabalharemos intensamente! Dia e Noite!
Diretor: Calma! Nao precisa tudo isso...
Ator: Voce nao sente a empolgação que me invade?
Diretor: Sinceramente...nao, e nao acho que isso possa mudar.
Ouviu aquilo mesmo!? Mas se ele tinha passado para fazer parte da companhia, porque o diretor parecia tao nao-empolgado!? O "nao" girava em sua cabeça, enquanto caminhava de volta para casa, nao poderia aceitar este "nao"!
E justamente foi o que fez. No mês que se seguiu, o Ator estava tao focado em provar o seu valor, que o diretor se sentiu tocado com a dedicação de Preposição. Sabia que ele causava novas sensações na audiencia, já atestara, inclusive, que ele era capaz de ser aplaudido em pé por aqueles que o assistiam. Também, tivera a oportunidade de entender algumas das coisas que faziam-no unico como ator.
Assim, numa noite que se seguiu, o Diretor chamou o Ator ao centro do palco. Havia uma luz de holofote que mirava a cena e que se alegrou quando o diretor disse.
Diretor: Estamos preparando uma nova peça..
Ator: sim, estou ciente.
Diretor: e eu quero que voce seja o protagonista.
Ator: mas...
Diretor: Eu tenho certeza que é isso que quero! Voce é único e trabalhando juntos, podemos fazer o melhor espetáculo que o mundo ja viu!
ator: o senhor vai aceitar as minhas ideias?
Diretor: Posso nao concordar com elas, mas nao vamos brigar por isso. Diálogo serve para resolvermos. E nao me chame de senhor, que eu me sinto velho!
Ator: Muito obrigado! Eu nao vou decepcioná-lo!
Diretor: E eu espero nao te decepcionar, também!
E assim, os dois que pareciam tao diferentemente parecidos quando se conheceram, e que ninguem na companhia botava fé que aquele contrato fosse durar; surpreenderam a todos quando criaram o espetáculo 100% e este foi consagrado por um longo tempo...
___
Inspiração para este post. - (http://dani-sorato.blogspot.com/2010/04/teatro-dos-sonhos-old-trafford.html)
Lindo, espero que tenha entendido certo, pq se nao entendi, puff! foi mal, rss...

Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.