Ficção de si mesmo



Sabia que todo mundo se torna uma ficção de si mesmo?
Talvez não de uma forma mentirosa, mas de maneira defensiva, como se a nossa sobrevivência dependesse da nossa habilidade de nos tornarmos camaleões, alguém socialmente aceitável ou menos do que somos. Uma Aquarela de fantasia.
E somos socialmente aceitáveis quando somos produtivos, quando temos aptidões, opiniões (mas nao somos rebeldes) quando entedemos a complexidade das coisas (e não fazemos fazemos nada para descomplexar), mas principalmente quando sabemos nso transmutar diante do resto do mundo.
Somos ficção de nós mesmos, quando lembramos do passado de forma fantasiosa e cremos nele como certo. Pensamos em nós comos pessoas melhores e apreciáveis no passado, lembramo-nos de nós de maneira romântica e saudosista.
Quer um exemplo? Lembre-se do seu primeiro beijo. Todos dirão que foi memorável (para melhor ou pior) mas a verdade é que foi, simplesmente, bizarro.
Outro exemplo, nossa infância. Provavelmente nao se lembram nem de metade dela (lógico que algumas partes dela ficaram encravadas) no entanto exigimos em dizer que a nossa infância foi linda.
A verdade é que sonhamos em acreditar que era a melhor epoca das nossas vidas, o passado. Desde de 15zolas que fomos, até o dia do casamento.
A ficção de nós mesmos deriva, tanto do nosso ser sonhador, quanto das nossas aceitações internas sobre as coisas do mundo. E convenhamos, nosso maior juiz é nossa consciencia.
Preste atençao, que nao estou dizendo que é certo ou errado, apenas digo que talvez tenhamos nos tornado alguem indiferente com o presente e o futuro, o que se torna terrivelmente perigoso...Somos os personagens principais de nossas histórias e disto nao podemos ter duvida, de qualquer maneira nao podemos nos esquecer que as vezes nao é a gente quem tem que se tornar a ficção de nós e sim a sociedade que tem que nos aceitar como a versão original.

7 comentários

Daniel disse...

Olívia, talvez seja por tudo o que escreveu que tenhamos os nossos sonhos, para que sabe, um dia, sermos aquilo que realmente queremos ser.

Os sonhos sim são lindos. Nunca há problema enquanto estamos neles. Aí me questiono: "Será que os verdadeiros sonhos são possíveis de serem realizados?"

Pode paracer que fugi um pouco da sua postagem, mas diria que é apenas uma continuação.

beijo

Mycнelle disse...

Adorei o texto, me fez pensar bastante. (...) "se torna uma ficção de si mesmo." Acho que a maioria das pessoas fazem isso, eu também já fiz, mas como sou uma mera revoltada, cansei. A sociedade não quer me aceitar como a versão original. Nem ligo hahaha

Felicidade Clandestina. disse...

Um dia destes me ocorreu isso mesmo.

*-*

Mas que SAUDADE que eu to de ti.
Gostei demais do texto!

Literatura pública disse...

É incrivel como isso é um fato!

gostei da analise... bem boa =**


te adoro beijos

Claudinha disse...

Deixa eu começar te elogiando, e dizendo que acho impressionante como vc consegue pegar um tema que aparentemente nao tem nada a ver, e torná-lo tao interessante.
Este, para mim, é o seu melhor blog!
Adoro as suas analises.
Beijocas
PS AMEI a nova lista de musicas!! AMO Franz!

Lika Band disse...

Nossa meoo! realmente, você falou sobre o mesmo que eu no seu post "Adorável incessatez":

"A verdade é que ha mt tempo
eu decidir me esquecer
mas por mais q eu tente
sempre acabo rodando em circulos e caindo
em voce"

"No meio de tanta coisa, soh existe algo a fazer.
Tentar me lembrar
pq esse eh o oposto de esqcer
e desde q tentei te esqcer
tudo o q eu faço eh
lembrar de voce."

Lika Band disse...

"A verdade é que sonhamos em acreditar que era a melhor epoca das nossas vidas, o passado."

Eu acho que minha infancia era bem melhor do que a minha vida agora...