Can u see, Boleyn?

"A maior parte da nossa vida, é uma série de imagens.Elas passam pela gente como cidades numa estrada.
Mas algumas vezes, um momento se congela, e algo acontece.
E nós sabemos que esse instante é mais do que uma imagem.
Sabemos que esse momento, e todas as partes dele...irão viver para sempre." (desconheço o autor).


O Normal (O.Y)

Um dia, uma menina ganhou de presente de seu irmao mais velho, uma camera fotografica. Era velha, ainda de filme kodak e revelação antiga, mas a menina ficou tao feliz, que nao se importou com o fato de ter que correr quase que a cidade inteira para encontrar filme para sua antiguidade. Nao se importava nem um pouco, na verdade, aquela camera velhinha, tornara-se seu objeto predileto, sua maior precisiosidade.
Os tempos foram passando, as cameras digitais foram ficando cada vez mais cheias de função, mas a menina continuou com a velha melhor amiga, mesmo quando era oferecida a ela uma nova e moderna camera, ela nao queria! E ai de quem resolvesse bater boca com ela!
O grande problema aconteceu quando a menina se tocou de que estava ficando cada vez mais e mais dificil encontrar filme para sua camera. E esse problema ficou cada vez pior, fazendo com que ela acabasse tendo que comprar estoque, para nao faltar, mas nao adiantava, nao era eterno, e no final, ela acabava ficando sem filme.
Sentou-se, entao, frustrada no patio de sua casa, vendo a chuva cair. Imaginou que sua camera tinha filme, e tirou fotos, mas as imagens ficaram registradas apenas em seus olhos. até que uma vizinha, vendo a menina tirando fotos com uma camera obsoleta, chegou perto dela e disse:
--Entao, voce usa essa maquina, é?! Hum...nao acha que esté um pouco velha, nao!?
A menina nao respondeu, continuou fingindo que o filme estava dentro de sua maquina.
--Poxa, nao vai me responder? ah...--ela se sentou ao lado da menina numa das cadeiras do patio. --Nao se importa se eu me sentar, aqui, certo?!
A menina continuou penetrada nas imagens que "produzia" em seu bem mais precioso.
--Acho que nao...pelo visto nao...Pois é...ouvi dizer que voce ja ganhou uma "sony" no aniversario, mas nao quis...como faz isso?
Ainda nenhuma resposta, os nervos da vizinha começavam a atacar.
--Olha, é educado que se responda para alguem que fala com voce! sua mae nao te deu educação, nao!?
Sem qualquer movimentação da menina para responder, a vizinha ficou mais irritada e acabou por puxar a camera da menina, o unico momento em que ela parou para encarar a sequestradora de cameras.
--Ah!! Agora sim, voce vai me dar atenção! Dá para voce se portar como uma pessoa normal?
--O que é normal, por acaso? --perguntou a menina ainda fitando a chuva.
--Como?! Voce realmente está me remendando?
--Depende, voce quem me chamou de anormal, quero saber se realmente me encaixo nesse rotulo, ou se voce, apenas, está se equivocando...
--O que?!
--Sim, porque para voce chamar algo ou alguem de anormal, precisa saber o que é a normalidade!
--Voce é anormal! nao tem nada de normal, menina!!
--E porque?
--Simplesmente por que é!
--Ainda nao respondeu porque...e ja que nao parece querer responder, eu acho melhor esquecer e me devolver a camera.
--Espera ai! --De repente responder para aquela menininha petulante era questao de honra. --Normal é...assim...dizer bom dia, boa tarde, boa noite...ser uma pessoa interativa, que converse com todos, digo...normal é uma menina da sua idade estar tirando fotos com seus "miguxos" e nao da chuva! normal era voce querer uma camera digital de natal, ou de aniversario, e nao mais filme para esse troço velho! --ela sorriu triunfante. nao tinha, apenas, respondido, mas tinha humilhado a menina.
--Voce está certa disso!? --a menina perguntou, ainda a encarando com um sorriso inocente no rosto. --Está?
A vizinha ficou arrasada. Nao sabia explicar como, ou porque, mas aquela menina tinha um jeito que a deixava sem estribeira. --Sim! Eu tenho certeza que isso que é normal.
--Ok...será que voce pode devolver a minha camera?
--Voce nao vai responder? Reclamar? piar?! Sei la...
--Nao...só quero a minha camera de volta!
--Mas eu te chamei de anormal! Voce tinha que responder alguma coisa, se defender!!
--É porque? Por que é o normal!?
--Sim! Por que isso é o normal!
--Voce sabe o que eu considero o normal? eu considero normal, nao dar a minima para o senhor que praticamente mora no bar ali da esquina, eu acho normal as pessoas ignorarem qualquer coisa que as arvores tem a dizer, acho normal que os olhos de todos fiquem fechados para as coisas que acontecem ao seu redor. Isos é o normal. E para mim, eu aceito ser anormal, pois eu tento enxergar tudo, até algo tao "pequeno" como a chuva.
A vizinha sem palavras entreogu a camera para a menina.
Depois voltou para sua casa, ouvindo o farfalhar das folhas em contato com o vento.

Livy Boleyn

Share:

0 Falas

Mesa de Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.